domingo, 17 de janeiro de 2010

CALOR DA SAUDADE


Todas as noites sinto meu corpo pesado e cansando, mas quando me deito e meus pensamentos começam a fluir o desejo de não me sentir vazio ali inflama dentro de mim, de repente chega aquela vontade absurda de perder a cabeça e esquecer as lições que o mundo ensina.

Desejo é aquele que fica no seu ouvido, soprando e fazendo um arrepio surgir em cada centímetro do corpo, e quando você pensa que parou ele queima dentro dos seus olhos e faz com que você perceba que a qualquer momento ele pode queimar denovo. O desejo é algo que você alimenta com cada segundo do seu pensamento mais profundo mas esquecemos que precisamos saciá-lo e pensamentos não bastam.
Perder a cabeça é fácil quando aquele calor faz seu corpo estremecer e fazer com que você perca o raciocínio e só pensar nele.

Enquanto anda pela rua e tenta não pensar naquilo que você mais pensa você sem perceber olha para aqueles que estão próximos e o calor que você exala dos seus olhos faz com que todos parem e percebam o quão forte você aparenta e mesmo em dia que você não se sente atraente o calor lhe serve como imã que atrai todas as suas maiores loucuras no ápice da sua vontade mas você é tão sistemático e cauteloso que não tem coragem de expor e então volta para suas noites de suor e pensamentos impagáveis.

Tudo que você sabe é quanto mais você tenta esquecer que não resiste mais irresistível fica até que ele mesmo faz com que você transborde em imenso mar de vontades. Quando fecha os olhos, consegue até ouvir aquela risada entre lábios naquele climax que você sabe o quão bem faz.

Pode respirar fundo, pode tomar o quanto você quiser de água gelada mas nada saciará a sua vontade de ter-me ao seu lado para acabar com tudo aquilo que dentro da sua mente você sabe que é puro desejo.


Rafael Pimentel

6 comentários:

Milena Torres | 17 de janeiro de 2010 17:29

Gostei bastante do texto, fiquei toda arrepiada, arrasou! (y)
Parabéns! (:

juliana | 18 de janeiro de 2010 08:18

Rafinha...posso por este texto no blog?????

Marcos Vieiras | 19 de janeiro de 2010 03:45

Desejar é mesmo irresístivel. É espontâneo, acontece como um desabrochar pertinente. Preenche as lacunas do nosso mais profundo vazio, mas é também solidão quando a esta febre passa.Por isso desejar é bom e provocá-lo é melhor ainda, mas há de ter-se cuidado, pois nem toda sensação de vida nos faz mais acertivos naquilo que realmente queremos.

Belíssimo texto.
Primeira vez comentando, desculpe a intromissão mas fui vítima do desejo de não deixar passar em branco tão belas palavras...

Abraços
Marcos

Caroline Ortiz | 20 de janeiro de 2010 07:29

Eu travo uma verdadeira batalha contra os meus desejos e minhas vontades, até o momento sou mais forte, mas, sei que chegará um momento que teria de me saciar.

Leonardo | 29 de janeiro de 2010 18:43

VEM VEM VEMMMM RAFINHAAAA!! PLEASE!! xD

Marcos Vieiras | 14 de fevereiro de 2010 15:48

Sério ... eu preciso de outro texto ... hauahauahuahau
Bjs