domingo, 13 de setembro de 2009

OS OLHOS DE RESSACA


Nos vejo tão distantes que seria capaz de nos perdermos. Aquilo que era tão unido, tão próximo, se tornou um afastamento tão grande que hoje vejo que não há mais nada que eu possa fazer.
Aquele efeito todo já se foi e hoje posso dizer que sou feliz por mim mesmo e não por você. Todo aquele conto que vivemos foi essencial para a minha ‘evolução’ mas como todo conto, sempre existe um ponto final, até mesmo quando você acredita que é apenas uma vírgula de uma história tão grande como a nossa. Por todo esse tempo, eu fui como um boneco de plástico do qual você controlava e eu me contentava com qualquer tipo de carinho vindo de você por menor que fosse – como diz Meg Stock ‘na tempestade me contento com seus pingos’ – foi o melhor dos meus tempos, provei de uma felicidade tão grande que tive medo que a minha felicidade se fosse junto com você, mas não foi.

A felicidade é algo que vem de mim mesmo, do próprio estado de espírito. Tenho tantas pessoas maravilhosas ao meu lado que não tenho como ser menos feliz, meu sorriso é diário, minhas risadas são constantes e todos os sentimentos bons me cercam como escudos protetores.
Tudo é tão recente que ainda que nem ao menos pude me esquecer do seu rosto, dos seus olhos e da forma que eles brilhavam ao me olhar. Você sempre foi um bom ator ao me convencer que tudo seria eterno, mas nunca foi bom o suficiente para manter suas promessas que ambos sabíamos que não passavam de falsas declarações vindas de um coração carente.

Eu poderia estar lhe desejando coisas ruins, mas acho uma perda de tempo tão grande que nem ao menos me dou o trabalho. Você com suas atitudes só tem a perder, eu fui sua primeira grande perda, porque você pode ter absoluta certeza de que ninguém será tão bom com você como eu fui. Com seu jeitinho tão peculiar você se torna capaz de afastar qualquer pessoa de você, por melhor que ela seja. Sendo assim, só me resta desejar-lhe sorte; você precisa!
E quanto a mim, estou vivendo um dia após o outro, com calma e principalmente paciência. Ninguém disse que seria fácil, mas admito que não tem sido difícil.


Rafael Pimentel

2 comentários:

juh s.e.p ϟ | 14 de setembro de 2009 13:21

Nossa lindo texto e pá. curti ;*

Caroline Ortiz | 20 de setembro de 2009 12:56

Parece que não se deu o trabalho de dar a volta por cima, pois nem precisou de tudo isso, não se deixou rebaixar a tal ponto, poucas pessoas são capazes de continuarem a ter um sorriso no rosto como você.

Bjsmills!!!